Publicado em 31/01/18 12:00

Carnaval: como atuar como agente de proteção da infância e juventude?

Manter os olhos abertos para identificar e denunciar possíveis violências contra crianças e adolescentes é uma das funções mais importantes para qualquer cidadão que quer atuar como agente de proteção da infância e juventude. Com a chegada do Carnaval e das tradicionais comemorações de rua, é ainda mais importante manter esse estado de atenção. Afinal, com o grande fluxo de turistas brasileiros e estrangeiros, os riscos aumentam. Sendo assim, ações efetivas precisam ser tomadas, visando proteger crianças e adolescentes da exploração sexual.

Desde 2012 a Childhood Brasil atua com o projeto Grandes Eventos e Infância, que tem como objetivo tirar a causa da violência sexual contra crianças e adolescentes da invisibilidade, aproveitando o momento de engajamento da sociedade e dar luz à proteção da infância e da adolescência durante grandes eventos como o carnaval, a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, entre outros.

Garantir a proteção de crianças e adolescentes contra todas as formas de violência, inclusive a exploração sexual, é papel de todos os cidadãos. Sendo assim, para ser um agente de proteção, preparamos três dicas.

Confira:

Mantenha os olhos abertos

Esteja atento às crianças e aos adolescentes, sejam eles do seu convívio ou não, para garantir que estejam protegidos durante grandes eventos, como o carnaval.

Sozinhos eles podem estar vulneráveis à abordagem de pessoas mal-intencionadas e que podem influenciá-los ao consumo de substâncias ilícitas, atividades ilegais ou outras violências. Esteja sempre por perto!

Informe-se e compartilhe as informações

A Childhood Brasil acredita que a informação é peça-chave para garantir a proteção integral da infância e juventude. Sendo assim, saber mais sobre o problema e compartilhar com as pessoas que você conhece já é uma excelente forma de atuar como um agente de proteção de crianças e adolescentes.

Nesse sentido, é importante entender que em nenhum caso a exploração sexual de crianças ou adolescentes pode ser interpretada como consentida ou desejada. É uma das mais graves e perversas violações de direitos e sempre deve ser denunciada.

Para saber mais sobre a causa e poder repassar informações para todos que conhecer, links que podem ajudar a entender mais sobre o problema:

- Entenda a questão.

- Perguntas frequentes sobre a violência sexual de crianças e adolescentes.


- Números da causa.


- Publicações.

Denuncie!

A primeira coisa a se fazer quando presenciar uma situação de violência contra crianças e adolescentes é a denúncia. Durante as festas de carnaval, você pode procurar o Conselho Tutelar ou a Delegacia mais próxima para reportar casos de violação.

Caso não seja possível, há alguns canais que recebem queixas relacionadas à exploração e ao abuso sexual de crianças e adolescentes, sendo eles o Disque 100 (atendimento gratuito e anônimo) e o aplicativo Proteja Brasil, que pode ser baixado gratuitamente em seu celular.

Para saber mais sobre os riscos que envolvem a infância e grandes eventos, acesse.