Grandes Eventos e Infância

O que a infância tem a ver com os grandes eventos esportivos

Inauguramos uma nova área em nosso website. É um espaço focado exclusivamente em ações e informações sobre a proteção da infância e da adolescência durante o mundial de futebol no Brasil.

Nessa área, abordaremos especificamente a questão da exploração sexual de crianças e adolescentes, um tema complexo, difícil de enfrentar e que ainda aflige um considerável número de pessoas no Brasil. Com o grande fluxo de turistas nacionais e estrangeiros em direção às cidades-sedes dos jogos, os riscos aumentam. Por conta disso, ações efetivas precisam ser tomadas, visando evitar a exploração sexual e proteger os direitos de crianças e adolescentes.

Quando ocorre a exploração

A exploração sexual pressupõe uma relação de mercantilização, onde o sexo é fruto de uma troca, seja ela financeira, de favores ou presentes. Crianças ou adolescentes são tratados como objetos sexuais, como mercadorias. Em boa parte dos casos, existem intermediários ou agenciadores, que lucram com esse comércio ao intermediar a relação sexual com a vítima.

Os riscos a enfrentar

O evento atrairá 3,7 milhões de turistas brasileiros e estrangeiros às cidades-sedes. Isso vai gerar divisas e oportunidades de negócios, mas também aumentará os riscos de exploração sexual de crianças e adolescentes.

Muita gente de fora estará concentrada nas cidades que realizarão os jogos. É sabido que os exploradores aproveitam esse tipo de cenário para tentar ganhar dinheiro com a oferta de sexo com crianças e adolescentes. Como, infelizmente, existem pessoas que aceitam participar desse tipo de crime, é preciso evitar que crianças e adolescentes fiquem expostas e sejam aliciadas pelas redes de exploração.

É absolutamente necessário realizar ações de enfrentamento do problema.

Legado positivo

Desde que a televisão foi inventada, o mundial de futebol no Brasil será o evento esportivo mais visto no planeta. Estima-se que mais de 2,2 bilhões de pessoas assistirão as transmissões. A organização dessa megaestrutura movimentará bilhões de dólares em diversas frentes: obras, viagens, reuniões preparatórias, estrutura de comunicação, segurança, hospedagem, preparação das cidades-sede, treinamento das equipes.

O mundo todo estará de olho no Brasil.

Nesse cenário esportivo e festivo, não é possível admitir que crianças e adolescentes sejam afetados de forma negativa. Por isso, diversas organizações estão empenhadas em garantir um mundial livre de qualquer tipo de violação de direitos.

Para o evento que começa na primeira quinzena de junho de 2014, a Childhood Brasil começou a se preparar em 2012. Nosso principal objetivo é contribuir para que esse megaevento deixe um legado positivo para crianças e adolescentes brasileiros.

Nessa área do site, você conhecerá iniciativas realizadas pela nossa equipe, pelo governo, por diferentes empresas privadas e também por organizações parceiras.

Todos temos um papel importantíssimo nesse processo. Encontre aqui informações sobre como agir para termos um mundial que leve em conta a proteção dos direitos de crianças e adolescentes.

Anote esse número: 100

Esse é o número do Disque-Denúncia. Se você se deparar com o problema, ligue e denuncie. Não é necessário se identificar. O importante é salvar a vida de crianças e adolescentes em situação de violência.

Informe-se, participe, conheça a agenda de convergência. Instale em seu celular o aplicativo Proteja Brasil, criado para facilitar denúncias contra violações de direitos de crianças e adolescentes. Clique aqui para conhecer e saber como baixar o aplicativo.

A Childhood Brasil acredita que a informação é peça chave para garantir a proteção integral da infância. Faça parte dessa união de esforços.

Nenhuma exploração sexual de criança ou adolescente pode ser interpretada como consentida ou desejada.