Publicado em 04/06/14 21:03

SaferNet lança campanha global de conscientização para alertar sobre os riscos e consequências do sexting e Selfie com nudez

Os casos de sexting e Selfie com nudez são muito comuns entre adolescentes e jovens. Em 2013, as ocorrências aumentaram 110%. Para conscientizar os usuários sobre o risco da exposição online, a SaferNet Brasil em parceria com a Agência Propeg, começou a veicular nas redes sociais uma campanha global de alerta para as consequências do sexting em um mundo hiperconectado. Batizada de “Selfie”, a campanha atenta para o fato de que “A internet não guarda segredos” e propõe: “Mantenha a sua intimidade off-line”.

Em poucas horas, a campanha atingiu mais de 10 mil likes e 800 compartilhamentos no Facebook e ganhou espontaneamente o apoio e reconhecimento internacional de personalidades, órgãos de governos estrangeiros, especialistas em design, publicidade e diretores de grandes empresas.

Uma pesquisa realizada pela SaferNet e GVT em 2013, com 2.834 jovens brasileiros, revelou que 20% diz já ter recebido conteúdos de sexting e selfie com nudez e 6% reenviou estas imagens a outras pessoas. A maior preocupação relacionada a esta prática de compartilhamento é que uma vez online, perde-se completamente o controle da foto ou vídeo íntimo publicado.

“Queremos ajudar os adolescentes e jovens a fazerem boas escolhas na rede, sabendo administrar suas publicações e compartilhamentos para evitar arrependimentos e situações de perigo quando pessoas mal intencionadas se aproveitam destas imagens” alerta Thiago Tavares, Presidente da SaferNet Brasil e coordenador da Central Nacional de Denúncias de Crimes Cibernéticos.

Para a coordenadora psicossocial do SaferNet, a psicóloga e psicanalista Juliana Cunha, os adolescentes e jovens encontraram nos smartphones uma nova maneira de expressar sua sexualidade. ”O selfie com nudez é mais um jogo sexual, numa fase de descobertas que sempre aconteceu na adolescência. O problema é que agora existe uma plateia enorme assistindo a cena e julgando a vítima através das redes sociais”, observa.

Segundo Juliana, uma das fontes de prazer sexual é o olhar e compartilhar essas imagens pode excitar sexualmente os envolvidos. “Para alguns, o fato de se relacionar sexualmente com um completo desconhecido de forma anônima pode ser muito excitante.”

Obviamente os pontos positivos não eliminam os riscos ligados ao sexting, mas a psicóloga atenta para o fato de que a prática pode ser saudável quando envolve pessoas com maturidade e entendimento para consentir e se responsabilizar por seus atos.

“O desafio das interações nestes ambientes recai sobre a nossa responsabilidade. Creio que nunca fomos tão responsáveis por nossos atos e os de outrem como somos atualmente”, finaliza Juliana.

 

Sobre o SaferNet

Desde 2012, a ONG SaferNet Brasil oferece um serviço gratuito de ajuda e orientação psicológica online para crianças, adolescentes e jovens que estejam vivenciando alguma situação de risco ou perigo na web. Uma equipe de psicólogos especializados faz o acolhimento e orienta as vítimas em como proceder. Tudo é feito online e de forma anônima e segura, através do endereço: www.canaldeajuda.org.br. O serviço é o único do país que promove os Direitos Humanos na Internet, e é reconhecido e autorizado a funcionar pelo Conselho Federal de Psicologia.