Publicado em 13/12/10 19:27
Compartilhar

Código de Conduta previne exploração sexual em hotéis

[caption id="attachment_2261" align="alignleft" width="300" caption="Recepção de hotel da Atlantica Hotels no último 18 de Maio"][/caption]

Em 2002, a Atlantica Hotels - maior administradora hoteleira independente multimarcas da América do Sul, com empreendimentos em 40 cidades brasileiras - decidiu criar um projeto chamado Criança Feliz. A iniciativa não teve o sucesso esperado porque a empresa ainda não tinha experiência na área de proteção da infância e precisava de ajuda especializada.

Esse projeto foi o embrião do que se transformou, três anos depois, em uma série de ações desenvolvidas em parceria com a Childhood Brasil, que previnem a exploração sexual de crianças e adolescentes e promovem o Turismo Sustentável. A partir da parceria com a Childhood Brasil, a Atlantica adotou o Código de Conduta para a Proteção de Crianças e Adolescentes contra a Exploração Sexual em todos os seus empreendimentos. O texto foi elaborado com apoio técnico da Childhood Brasil e a partir de sugestões dos próprios colaboradores. Um Manual de Procedimentos também passou a ser adotado por todos os colaboradores da rede. “Todo colaborador assina uma cláusula sobre a prevenção da violência sexual contra crianças e adolescentes e passa por treinamento a cada três meses”, firma a vice-presidente Dináurea Cheffins. “Somos um multiplicador, porque grande parte de nossos fornecedores e hóspedes também já estão envolvidos com a causa”.

A empresa também se tornou signatária do The Code – Código Internacional de Conduta para a Proteção de Crianças contra a Exploração Sexual em Viagens e Turismo (www.thecode.org), o que apenas reforça os princípios que vêm sendo adotados pela empresa desde 2005. O código prevê os seguintes critérios de conduta:

• Estabelecer uma política ética comercial com relação à exploração sexual de crianças e adolescentes;
• Treinar os departamentos e colaboradores sobre a causa;
• Inserir uma cláusula nos contratos com fornecedores garantindo a reputação comercial dos parceiros em relação à exploração sexual de crianças e adolescentes.
• Fornecer informações aos hóspedes por meio de folders, websites e outros canais de comunicação dos hotéis sobre a postura da companhia quanto ao tema;
• Fornecer informações sobre o assunto às pessoas-chave em cada destino de viagem
• Produzir relatório anual sobre as ações e resultados em prol à causa.

Para envolver os colaboradores, hóspedes e fornecedores, há também o investimento em campanhas para a arrecadação de recursos para os projetos e programas da Childhood Brasil. 18 de Maio, Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, é a principal data marcada pela empresa para arrecadar fundos em todos os hotéis. Em 2010, o slogan foi “Todo dia é dia para mudar vidas” e a mobilização seguirá durante o ano inteiro, com premiações para as equipes que mais arrecadarem.

Os hóspedes são convidados a participar arredondando o valor da conta, com a diferença sendo doada para a causa; comprando produtos confeccionados nos projetos, ou consumindo os chamados “produtos do bem”, com um selinho da campanha. Anualmente, também é realizado um leilão anual em benefício da causa.

“Tudo tem que ser feito de forma eficaz, mas sutilmente, para envolver os hóspedes sem agredi-los com um tema tão delicado”, afirma Dináurea.

No ano passado, o objetivo era arrecadar R$ 500 mil, mas superaram a meta em R$ 14 mil a mais. “Esse ano tudo indica que vamos bater a meta novamente”, comemora Dináurea.
Compartilhar