Publicado em 15/01/18 11:50

O papel do adulto na proteção da infância: saiba como agir em casos de abuso sexual



Proteger a infância é um papel de toda a sociedade, não somente dos pais, responsáveis, escolas e governos. Mas de cada um de nós.

Identificar uma situação de abuso é o primeiro passo para interromper o ciclo de violência na vida de uma criança ou adolescente. E, em nosso dia a dia, pequenas atitudes já podem ser de grande valor para auxiliar meninos e meninas que se possam se encontrar em alguma situação de risco.

Hoje, 15 de janeiro, data em que é celebrado o Dia do Adulto, a Childhood Brasil apresenta uma série de dicas para que todos possam reconhecer e agir diante de uma suspeita de abuso sexual contra crianças e adolescentes. Confira!

Como identificar?

Em caso de suspeita, é importante ter um olhar cuidadoso para identificar alguns sinais de mudanças bruscas no comportamento das crianças e adolescentes.

No dia a dia, fique atento a:

- mudanças repentinas de comportamento, como alterações no humor, atitudes agressivas, sonolência e perda ou excesso de apetite;

- baixa autoestima, insegurança, comportamentos sexuais inadequados para a idade e busca por isolamento;

- lesões, hematomas e outros machucados sem causas aparentes;

- gravidez precoce;

- doenças sexualmente transmissíveis;

- desconfia de contato com adultos;

- fugas de casa e evasão escolar.

Ressaltamos que a existência isolada de um dos indicadores não é significativa para a interpretação da presença de violência sexual contra crianças e adolescentes. Na dúvida denuncie e procure por ajuda especializada.

Como agir?

Diante de casos de abuso sexual, saber como agir em caso de uma suspeita ou revelação de um caso por parte de uma criança ou adolescente também é primordial para ajudar quem sofreu a violência.

Na hora de realizar a denúncia, procure canais como o Disque 100, que funciona 24h, é gratuito e anônimo, o aplicativo Proteja Brasil, ou vá direto no Conselho Tutelar mais próximo ou em delegacias de polícia especializadas, da mulher ou, caso prefira, nas locais também.

Além disso, para casos de atendimento e acompanhamento da criança ou adolescente, recomenda-se o Centro Nacional de Referencia às Vítimas de Violência (CNRVV), do Instituto Sedes Sapientiae. O telefone do Centro, que fica em São Paulo, é (11) 3866-2730.

 

Você, adulto, quer aproveitar este dia para conhecer mais dicas de como agir em casos de abuso sexual de crianças e adolescentes? Acesse.