Publicado em 21/03/18 13:06

Dia Mundial da Infância: como incentivar a autoproteção?

A melhor forma de prevenir a violência sexual contra crianças e adolescentes é o conhecimento. Ensiná-los o que é e o que se pode fazer diante de situações como essa, além empoderador, contribui positivamente para a garantia de uma infância cada vez mais protegida.

Hoje, data em que é comemorado o Dia Mundial da Infância, confira as dicas que a Childhood Brasil preparou para pais, responsáveis e amigos iniciarem um diálogo sobre a autoproteção com os meninos e as meninas de seus convívios.

Ensine sobre o assunto

Existem várias tipificações de violência contra crianças e adolescentes, e o primeiro passo para a proteção é o conhecimento. Dessa forma, para garantir que as vítimas ou testemunhas saibam como agir diante de tal situação, uma das coisas que devemos ensiná-los é a diferença entre abuso e exploração sexual – considerando que ambos são manifestações de um conceito mais amplo, chamado violência sexual.

Enquanto o abuso acontece quando uma criança ou adolescente é usado para estimulação ou satisfação sexual de um adulto, a exploração pressupõe uma relação de mercantilização, na qual o sexo é fruto de uma troca, seja ela financeira, de favores ou presentes.

Saiba mais sobre os termos.


Tenha um diálogo aberto

Além do conhecimento, conversar abertamente sobre o assunto é importantíssimo para educar a respeito da autoproteção.

O diálogo opera em duas frentes: tanto com os adultos ensinando que crianças e adolescentes são donos de seus corpos e podem recusar qualquer carinho quanto as próprias crianças se sentindo à vontade em relatar situações que configuram casos de violência. Nessa relação, a transparência é a chave para que essa troca ocorra naturalmente.

Mantenha a atenção na internet

Como a internet faz parte do cotidiano e tornou-se ferramenta de lazer, não podemos deixar de prevenir sobre os perigos existentes por trás dos computadores e smartphones.

Nessas situações, é recomendado que os responsáveis acompanhem de perto e orientem sobre os espaços seguros para frequentar. É muito importante instruir as crianças e os adolescentes para não divulgar nome, endereço, telefone, fotografias, escola e e-mail em locais on-line, como salas de bate-papo e sites desconhecidos.

Para mais informações sobre como orientar as crianças e os adolescentes a navegar com segurança na internet, faça o download da nossa cartilha clicando aqui.


Manter os olhos sempre abertos e denunciar em caso de suspeita de qualquer violação de direitos contra crianças e adolescentes também é importante. Disque 100, baixe o aplicativo Projeta Brasil ou entre em contato com o conselho tutelar e a polícia da região. Proteger a infância é papel de todos!