21
mar
2018

Dia Mundial da Infância: como incentivar a autoproteção?

A melhor forma de prevenir a violência sexual contra crianças e adolescentes é o conhecimento. Ensiná-los o que é e o que se pode fazer diante de situações como essa, além empoderador, contribui positivamente para a garantia de uma infância cada vez mais protegida.

Hoje, data em que é comemorado o Dia Mundial da Infância, confira as dicas que a Childhood Brasil preparou para pais, responsáveis e amigos iniciarem um diálogo sobre a autoproteção com os meninos e as meninas de seus convívios.

Ensine sobre o assunto

Existem várias tipificações de violência contra crianças e adolescentes, e o primeiro passo para a proteção é o conhecimento. Dessa forma, para garantir que as vítimas ou testemunhas saibam como agir diante de tal situação, uma das coisas que devemos ensiná-los é a diferença entre abuso e exploração sexual – considerando que ambos são manifestações de um conceito mais amplo, chamado violência sexual.

Enquanto o abuso acontece quando uma criança ou adolescente é usado para estimulação ou satisfação sexual de um adulto, a exploração pressupõe uma relação de mercantilização, na qual o sexo é fruto de uma troca, seja ela financeira, de favores ou presentes.

Saiba mais sobre os termos.

Tenha um diálogo aberto

Além do conhecimento, conversar abertamente sobre o assunto é importantíssimo para educar a respeito da autoproteção.

O diálogo opera em duas frentes: tanto com os adultos ensinando que crianças e adolescentes são donos de seus corpos e podem recusar qualquer carinho quanto as próprias crianças se sentindo à vontade em relatar situações que configuram casos de violência. Nessa relação, a transparência é a chave para que essa troca ocorra naturalmente.

Mantenha a atenção na internet

Como a internet faz parte do cotidiano e tornou-se ferramenta de lazer, não podemos deixar de prevenir sobre os perigos existentes por trás dos computadores e smartphones.

Nessas situações, é recomendado que os responsáveis acompanhem de perto e orientem sobre os espaços seguros para frequentar. É muito importante instruir as crianças e os adolescentes para não divulgar nome, endereço, telefone, fotografias, escola e e-mail em locais on-line, como salas de bate-papo e sites desconhecidos.

Para mais informações sobre como orientar as crianças e os adolescentes a navegar com segurança na internet, faça o download da nossa cartilha clicando aqui.

Manter os olhos sempre abertos e denunciar em caso de suspeita de qualquer violação de direitos contra crianças e adolescentes também é importante. Disque 100, baixe o aplicativo Projeta Brasil ou entre em contato com o conselho tutelar e a polícia da região. Proteger a infância é papel de todos!

Esta entrada foi publicada em crianças, desenvolvimento infantil e marcada com a tag , . Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.

As ideias e opiniões expressas neste blog não refletem necessariamente a opinião da Childhood Brasil. Nos reservamos o direito de aprovar os comentários submetidos pelos visitantes do sitepara publicação. Não serão publicados comentários de conteúdo discriminatório, que incitem qualquer tipo de violência, que não estejam relacionados ao tema foco do blog - proteção da infância contra o abuso e a exploração sexual, ou de caráter duvidoso, não comprovado.