21
mar

Projeto Ação Proteção reforça garantia dos direitos da criança e do adolescente contra a violência sexual

Painel rodoviário do Projeto Ação Proteção

“O abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes são muito mais frequentes do que imaginamos”. Assim começa o spot de rádio elaborado para mostrar que o enfrentamento à violência infantojuvenil só é possível por meio de uma rede de proteção com a participação de todos. A mensagem final é “Quanto mais gente enfrenta, mais gente é protegida”.

Em outro comercial, um anjinho com voz doce infantil pergunta para o outro como está o trabalho na Terra e ele responde: “Está difícil, tem muita gente mal-intencionada por aí…”, e termina dizendo que todo mundo pode ajudar.

Ambos os spots, além de filmes de TV, painéis rodoviários e outras peças impressas, fazem parte da campanha do Projeto Ação Proteção, uma iniciativa da Fundação Telefônica em parceria com a Childhood Brasil e o Centro de Empreendedorismo Social e Administração em Terceiro Setor, da FEA/USP (CEATS/FIA). O objetivo é articular, sensibilizar e capacitar os diferentes atores do Sistema de Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente contra a violência sexual. A campanha será veiculada em trinta municípios do Estado de São Paulo, mas pode ser vista também no hotsite do Projeto Ação Proteção.

A proposta do site é trazer dicas, notícias e links de importantes instituições voltadas ao tema.

“A violência sexual contra crianças e adolescentes é uma grave violação dos direitos humanos. Trata-se de um fenômeno complexo e multifacetado, que ocorre em todo o mundo e está ligado a fatores culturais, sociais e econômicos. No Brasil, atinge milhares de meninos e meninas cotidianamente. As experiências de enfrentamento à violência sexual infantojuvenil demonstram que somente o envolvimento de todos os atores sociais é capaz de produzir resultados positivos na prevenção e no atendimento a crianças e adolescentes. Nós da Childhood Brasil temos a firme convicção de que, por meio do trinômio informação-educação-prevenção, conseguiremos empreender ações mais propositivas e eficazes de intervenção, passando pelo fortalecimento de redes de proteção. O Projeto Ação Proteção tem como objetivo a promoção e defesa dos direitos da criança e do adolescente e para nós é um prazer integrar essa rede e contrubuir para o seu fortalecimento”, diz Ana Maria Drummond, diretora executiva da Childhood Brasil.

O projeto Ação Proteção complementa o programa Pró-Menino da Fundação Telefônica, que atua no combate ao trabalho infantil e promove medidas sócio-educativas para jovens que cometeram infrações.



Esta entrada foi publicada em destaque e marcada com a tag , , , , , . Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

2 comentários para: Projeto Ação Proteção reforça garantia dos direitos da criança e do adolescente contra a violência sexual

  1. Denise Maria de Lima disse:

    Parabens a todos voces por esse grande projeto. Moro em Cruzeiro no estado de Sao Paulo,e gostaria muito de relatar a minha historia por ter sido abusada quando ainda eu era criança,relatar minhas superaçoes e como consegui viver com o trauma.Sucesso a todos beijos Denise.(12)-92328704

    • admin disse:

      Prezada Denise,

      Agradecemos muito pelo comentário. Buscamos, por meio do blog do nosso site, divulgar não apenas notícias sobre a organização, seus eventos e projetos, mas também contar histórias reais que possam ajudar outras pessoas que passaram ou estão passando por uma situação semelhante.
      A Cristiana Felippe e Silva, redatora do blog, entrará em contato com você em breve no telefone mencionado para agendar uma entrevista.
      Atenciosamente,

      Equipe CHILDHOOD BRASIL

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

As ideias e opiniões expressas neste blog não refletem necessariamente a opinião da Childhood Brasil. Nos reservamos o direito de aprovar os comentários submetidos pelos visitantes do sitepara publicação. Não serão publicados comentários de conteúdo discriminatório, que incitem qualquer tipo de violência, que não estejam relacionados ao tema foco do blog - proteção da infância contra o abuso e a exploração sexual, ou de caráter duvidoso, não comprovado.