28
dez
2011

7,9 milhões de adolescentes vivem em famílias com renda mensal inferior a meio salário mínimo

Brasil tem mais de 21 milhões de adolescentes

Os adolescentes brasileiros estão mais expostos à pobreza e à violência, segundo relatório do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), divulgado no final deste ano. Cerca de 7, 9 milhões de adolescentes, entre 12 e 17 anos, vivem em famílias com renda inferior a meio salário mínimo per capita por mês. O número equivale a 38% dos brasileiros nesta faixa etária. A situação é ainda mais alarmante para os outros 3,7 milhões de garotos desta idade vindos de famílias que ganham até um quarto de salário mínimo per capita mensal.

A pesquisa também revelou que enquanto 3% as crianças entre 6 e 14 anos não frequentam a escola, o número sobe para 14,8%% entre os adolescentes entre 15 e 17. Metade dos que frequentam sala de aula ainda está no ensino fundamental, quando já deveria estar no ensino médio. A escolaridade média na faixa etária é 7,3 anos de estudo, quando deveria ser superior a nove anos de estudo.

Além da maior incidência da pobreza e da baixa escolaridade entre os adolescentes, o documento assinala ainda problemas atuais como maior risco de morte violenta, privação da convivência familiar e comunitária; e outras situações que podem influenciar negativamente o futuro como gravidez precoce, exploração sexual, abuso de drogas e contágio com doenças sexualmente transmissíveis. Continue lendo

Tags: , , , , , , ,
2.754 leitura(s) - [ leia mais ]
26
dez
2011

Anjos Caídos: protesto contra a exploração infantil em forma de poema

Blitz educativa realizada pela InterCement

“Caiu um anjo e ninguém viu
Caiu, pelo egoísmo adulto
Pela sede de conquista
Pela falta de amor
Pela falta de respeito

O anjo caiu, e está estatelado
Ninguém junta, ninguém acolhe
Com frio, fome, sede e cansaço”
(Anjos Caídos – Leandro Mendes)

Pai de dois filhos, Leandro Mendes transformou sua indignação em relação ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes em protesto, na forma de poema. Durante a organização da semana do Programa Na Mão Certa na cidade de Apiaí, em São Paulo, o analista de logística da empresa InterCement teve a idéia de elaborar um poema para ser lido por filhos de motoristas da empresa durante o evento, como forma de sensibilizar os funcionários sobre a importância do enfrentamento da exploração sexual de crianças e adolescentes nas estradas. Continue lendo

Tags: , , , , , , , ,
6.609 leitura(s) - [ leia mais ]
23
dez
2011

Tratamento ao abusador pode evitar novas vítimas

Fonte da imagem: http://www.sxc.hu/photo/1144710

Oferecer terapia e tratamento ao agressor sexual de crianças e adolescentes ainda é um tema polêmico até mesmo entre os profissionais de saúde e psicólogos. “Expressar empatia e compreensão com as pessoas que cometeram violência sexual frequentemente é visto como se estivéssemos defendendo o abusador e não a criança”, afirma a psicóloga Rosemary Peres Miyaha. Esse foi um dos temas abordados no Fórum de Enfrentamento à Violência, promovido em novembro pelo Centro de Referência às Vítimas de Violência – CNRVV do Instituto Sedes Sapientiae, em São Paulo, cujo tema foi “O abusador sexual: algumas propostas de intervenção”.

Em sua palestra “O profissional e o agressor sexual – judiciarização e possibilidades de tratamento”, a especialista em violência doméstica afirma que normalmente o agressor é visto não apenas no Brasil, mas também em outros países, como um “monstro”, mas é preciso lidar com os tabus e compreender a dinâmica que gera o abuso, para prevenir outros casos de agressão. Ela defende também investimentos em programas de tratamento para os abusadores. Rosemary frisa, ainda, que os profissionais da área estão percebendo a importância do assunto, porque, há alguns anos, quando eram promovidos debates a respeito, não havia muitos interessados e hoje o auditório costuma estar cheio. Continue lendo

Tags: , , , , , , , , ,
4.234 leitura(s) - [ leia mais ]
21
dez
2011

Jogos e brincadeiras recuperam vítimas de violência

Criado há três anos pelo Instituto Sabin no Distrito Federal, o Projeto Ludotecas utiliza jogos e brincadeiras para ajudar na recuperação de danos sociais e psicológicos sofridos por crianças e adolescentes vítimas de todos os tipos de violência, inclusive sexual.

Até hoje, foram instaladas 20 ludotecas em fóruns de tribunais, hospitais regionais e Centros de Referência Especializados de Assistência Social (CREAS), em parceria com as secretarias da Mulher; da Saúde e de Desenvolvimento Social e Transferência de Renda (Sedest). Em todo o projeto foram investidos R$ 120 mil, além de custos com apoio e reposição de brinquedos, sendo de R$ 6 mil o custo de cada ludoteca. Continue lendo

Tags: , , , , , ,
8.900 leitura(s) - [ leia mais ]
19
dez
2011

Aborto legalizado ainda é difícil para vítimas de abuso sexual

O acesso ao aborto legalizado ainda é complicado para as vítimas de violência sexual, embora esteja previsto em lei, desde 1940, nos casos de estupro e risco de vida para a gestante. Muitos profissionais de saúde ainda pensam que é preciso de um alvará judicial, quando é necessário apenas o consentimento da mulher, o boletim de ocorrência e o laudo de três médicos. Segundo a advogada Flávia Piva Almeida Leite, doutora em Direito pela PUC-São Paulo e professora das faculdades FMU, UMC e Unip, muitos hospitais oferecem o atendimento para as vítimas de abuso sexual, mas se recusam a fazer o aborto, por convicções religiosas ou falta de informação. Continue lendo

Tags: , , , , , ,
6.874 leitura(s) - [ leia mais ]
16
dez
2011

Leilão de Audi A1 arrecada R$ 210 mil para Childhood Brasil

Foram arrecadados R$ 210 mil no leilão de dois Audi A1 customizados pela artista espanhola Anna Taratiel.

O valor será revertido para a Childhood Brasil e em seus programas e projetos que trabalham por uma infância livre de exploração e abuso sexual. Continue lendo

Tags: , , , , , , ,
2.515 leitura(s) - [ leia mais ]
As ideias e opiniões expressas neste blog não refletem necessariamente a opinião da Childhood Brasil. Reservamos o direito de não publicar comentários de conteúdo discriminatório, que incitem qualquer tipo de violência, que não estejam relacionados ao tema foco do blog - proteção da infância contra o abuso e a exploração sexual, ou de caráter duvidoso.