19
set
2017

A importância da proteção de crianças e adolescentes vítimas de violência sexual

post_blog

O livro Crianças e Adolescentes Vítimas ou Testemunhas de Violência Sexual: Metodologias para Tomada de Depoimento Especial, lançado este ano pela editora Appris, é um passo para a compreensão da importância do depoimento especial. Com a metodologia de entrevista forense, a obra descreve e analisa estratégias que buscam reduzir os efeitos do estresse decorrente do ato de prestar testemunho em processos de investigação de crimes de violência sexual infanto-juvenis.

A publicação chama atenção para a necessidade de uma equipe multidisciplinar, capacitada especialmente para realizar as entrevistas com crianças e adolescentes, além de um espaço físico amigável e pensado para acolher as vítimas.

Com o objetivo de auxiliar os órgãos no enfrentamento desse tipo de violência, o livro é resultado de uma pesquisa realizada em 28 países considerados referência em atendimento, além de abordar eixos centrais da Lei 13.431/2017, como o depoimento especial, que é a escuta especializada feita em espaços qualificados como centros de atendimento integrado.

Crianças e Adolescentes Vítimas ou Testemunhas de Violência Sexual: Metodologias para Tomada de Depoimento Especial foi lançado pela Childhood Brasil e tem autoria de Benedito Rodrigues dos Santos, professor da Universidade Católica de Brasília, Itamar Batista Gonçalves, gerente de Advocacy da Childhood Brasil, e Vanessa Nascimento Viana, pesquisadora do Instituto WCF Brasil.

Ficou interessado? Clique aqui para acessar o site da editora Appris. Parte do valor arrecadado com a venda da publicação será doada para a Childhood Brasil.

Tags:
2.922 leitura(s) - [ leia mais ]
15
set
2017

Childhood Brasil promove edição especial da campanha “Herói da Infância” no Dia Nacional do Caminhoneiro

AFC2_Whatsapp

Ação do Programa Na Mão Certa visa sensibilizar caminhoneiros para o enfrentamento da exploração sexual de crianças e adolescentes nas rodovias de todo o país

Para marcar o Dia Nacional do Caminhoneiro, celebrado no dia 16 de setembro, aChildhood Brasil lança edição especial da campanha do Programa Na Mão Certa,“Herói da Infância”. O objetivo é incentivar que os caminhoneiros se tornem agentes de proteção das estradas brasileiras contra a exploração sexual de crianças e adolescentes. Para isso, a instituição promove materiais de comunicação, como filme, cartazes, banners e peças para redes sociais, sob o argumento de que caminhoneiros podem ser verdadeiros heróis da infância se mantiverem os olhos bem abertos nas estradas.

Através de levantamento realizado pela Polícia Rodoviária Federal, sabe-se que que hoje existem 1.969 pontos vulneráveis à exploração sexual de crianças e adolescentes nas rodovias federais. Segundo a Confederação Nacional do Transporte (CNT), 87% da economia do Brasil transita por rodovias. O tempo estimado de um frete é de 18 dias, sendo que muitas vezes o caminhoneiro permanece vários dias estacionado em paradas de entrega. A concentração de pessoas em um ambiente isolado é um facilitador para a atuação da rede de exploração sexual de crianças e adolescentes. Justamente por esses pontos, a Childhood Brasil aposta que os caminhoneiros podem ser um grande diferencial nessa luta.

Por intermédio do Programa Na Mão Certa há 10 anos caminhoneiros têm atuado como agentes de proteção nas estradas, em especial, em locais de parada onde crianças e adolescentes podem estar em situação de risco. Embora ainda haja um longo caminho, a pesquisa da Childhood “O Perfil do Caminhoneiro”, realizada em 2015, revelou importantes avanços na conscientização desse público: 87,3% dos entrevistados afirmaram que nunca se envolveram em relação de comércio sexual com crianças ou adolescentes, diferente de 2010, onde esse número era de 82,1% e, de 2005, que era de 63,2%.

Todos os materiais da campanha “Herói da Infância” serão disponibilizados para as mais de 200 empresas participantes do Programa Na Mão Certa nesse ano, para que juntas reverberem o conteúdo e fortalecem o sistema de prevenção. As peças parabenizam todos os heróis da infância e o filme da campanha incentiva todos a ficarem de os olhos abertos e lutarem para o fim da exploração e abuso sexual. O vídeo é uma adaptação da campanha#EyesWideOpen (Olhos Bem Abertos), lançado originalmente nos EUA, em plena Times Square, com o objetivo de proteger a infância e assegurar que as crianças sejam crianças.

Além da sensibilização dos profissionais de transporte, a Childhood Brasil trabalha junto com a Polícia Rodoviária Federal na orientação de denúncias. Se qualquer motorista, caminhoneiro ou não, estiver numa rodovia federal e identificar uma situação de vulnerabilidade deve alertar as autoridades pelo telefone 191. Se estiver em qualquer outra estrada ou cidade, o mais indicado é o Disque 100. É possível também usar o aplicativo Proteja Brasil, que é gratuito e basta baixar nas lojas Apple Store ou Google Play.

Tags: ,
338 leitura(s) - [ leia mais ]
11
set
2017

Como aplicar a Lei que prevê a Escuta Protegida e ser um protetor da infância na sua região?

Quando estamos diante de injustiças e violências, a vontade de combatê-las surge e nos incentiva a unir forças para mudar a situação. É nesses momentos que nossas ações ganham valor e se mostram extremamente importantes para dar vida a uma nova realidade, seja ela na nossa casa, na vizinhança ou no país inteiro.

Movida pela compreensão de que situações de violências devem ser enfrentadas por todos, a Childhood Brasil produziu uma série de materiais com boas práticas e recomendações para que os municípios brasileiros atendam à Lei 13.431/2017, que entrará em vigor em abril de 2018.

O Atendimento Integrado a Crianças Vítimas ou Testemunhas de Violência no Planejamento Plurianual dos Municípios e Estados Brasileiros 2018-2021 auxilia os gestores a se adequarem à nova legislação, com ênfase na implantação dos Centros de Atendimento Integrado em seu próximo ciclo de planejamento e orçamentação. Já a publicação Centros de Atendimento Integrado a Crianças e Adolescentes Vítimas de Violência apresenta boas práticas e recomendações para uma Política Pública de Estado.

Assim, cada cidadão pode cobrar dos prefeitos e vereadores quais ações para o cumprimento da lei estão previstas no orçamento plurianual, com validade de 2018 a 2021.

Quer saber como tornar sua cidade uma referência no atendimento a crianças e adolescentes vítimas de violência sexual? Confira o passo a passo na cartilha.

Para conhecer algumas experiências de boas práticas no atendimento integrado de crianças e adolescentes vítimas ou testemunhas de violências, conheça também a publicação.

Tags:
877 leitura(s) - [ leia mais ]
6
set
2017

Childhood Brasil participa de seminário para discutir protocolo de proteção de direitos de crianças e adolescentes em áreas de grandes obras e empreendimentos

WhatsApp Image 2017-08-31 at 13.06.42

A Childhood Brasil deu mais um passo no fortalecimento da Agenda de Convergência entre organizações da sociedade civil, setor privado e poder público para o enfrentamento da exploração sexual de crianças e adolescentes em áreas de grandes obras e empreendimentos. A entidade participou do Seminário sobre o Protocolo de Ações para a Proteção dos Direitos de Crianças e Adolescentes nesse contexto, promovido pela Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (SNDCA). O evento teve como objetivo apresentar os resultados da consulta pública sobre o tema, realizada no âmbito da SNDCA em maio deste ano, e discutir estratégias de implementação das ações previstas no documento.

Em 2009, a Childhood Brasil desenvolveu uma pesquisa para entender o contexto de vida e trabalho dos profissionais que atuam nas grandes obras no Brasil e também investigar possível envolvimento desse público em situações de exploração sexual de crianças e adolescentes. Entre outros dados obtidos, 97,2% dos entrevistados afirmaram que há prostituição nas obras onde atuam ou mantém algum vínculo. “Infelizmente existe um descompasso entre a execução de grandes obras no país e a implantação de ações preventivas sobre os impactos causados, apesar do avanço no comprometimento das empresas com o respeito aos diretos humanos, em especial de crianças e adolescentes”, explicou Eva Dengler, Gerente de Programas e Relações Empresariais da Childhood Brasil.

De acordo com o estudo, essa realidade faz com que as situações de risco e vulnerabilidade se intensifiquem, principalmente quando relacionadas à exploração sexual de crianças e adolescentes. “É fundamental que as ações de enfrentamento e medidas preventivas sejam prioridade em todas as fases, desde a concepção do projeto até a implantação, desmobilização da obra e operação dos empreendimentos”, defendeu Eva. Além da Childhood Brasil, participaram desse momento de diálogo e reflexão coletiva representantes de empresas privadas, instituições financeiras, sociedade civil, órgãos públicos da administração federal e organismos internacionais.

Entre as empresas parceiras da Childhood Brasil, a Fibria, empresa brasileira líder mundial na produção de celulose de eucalipto a partir de florestas plantadas, apresentou o movimento Agente do Bem – Três Lagoas, uma iniciativa de referência na questão de proteção dos direitos de crianças e adolescentes. Com a assessoria da Childhood Brasil, por meio do Programa Grandes Empreendimentos, a empresa desenvolveu o movimento de proteger crianças e adolescentes durante a construção de sua segunda fábrica de celulose em Três Lagoas (MS), com foco na prevenção da violência sexual. A estratégia visou ações intramuros para a formação cidadã, abordando o tema de forma positiva e acolhedora, com todos os fornecedores e seus trabalhadores, e extramuros com o Sistema de Garantia de Direitos e Comunidade, por meio de diagnóstico, capacitação da rede e a construção de um plano municipal de enfrentamento, apoiado por uma campanha de comunicação em diferentes plataformas e para os diferentes públicos envolvidos. O case, apresentado pela coordenadora de Sustentabilidade da Fibria, Flávia Tayama, materializou diversos pontos indicados no protocolo debatido durante o seminário, mostrando que é possível e muito importante assegurar os direitos de crianças e adolescentes durante um grande empreendimento.

Tags: , ,
406 leitura(s) - [ leia mais ]
31
ago
2017

Hoje, homenageamos o conselheiro Gregory Ryan

Post_Gregory_Ryan_op3

Crucial para a trajetória da Childhood Brasil, a história de vida e a visão empreendedora do conselheiro Gregory Ryan deixam grandes contribuições. O empresário, que faleceu no último domingo (20), abriu portas para a realização de projetos e colaborou imensamente para o enfrentamento à violência sexual de crianças e adolescentes.

Gregory, nascido nos Estados Unidos e naturalizado brasileiro, foi grande entusiasta e apoiador da parceria entre a Childhood Brasil e a Rede Atlântica de Hotéis, que desde 2005 trabalham juntas para prevenir o abuso sexual infantojuvenil e promover o turismo sustentável pelo país.

Seremos eternamente gratos pelo apoio e parceria nesses anos de intenso trabalho.

Tags:
278 leitura(s) - [ leia mais ]
25
ago
2017

Dia Internacional da Igualdade Feminina: direitos sexuais e a gravidez na adolescência

O Dia Internacional da Igualdade Feminina, comemorado no dia 26 de agosto, é um marco importante na luta pela igualdade entre os gêneros. Dentro da sociedade em que vivemos, por séculos, a mulher foi afastada de funções importantes e direitos sociais, sendo associada unicamente à vida doméstica, ao matrimônio e, consequentemente, a um comportamento subalterno e sem voz. Hoje, apesar de grandes conquistas, a luta está longe de terminar e alguns pontos permanecem intocados pela parcela feminina. A liberdade de direitos sexuais, por exemplo, é um deles.

É nesse sentido que a publicação Gravidez na Adolescência no Brasil – Vozes de Meninas e Especialistas, feita pela parceria entre UNICEF, UNFPA e INDICA, chama atenção para esse assunto e discute sobre possíveis caminhos para aprimorar políticas públicas, programas e serviços que garantam os direitos sexuais e reprodutivos das adolescentes brasileiras. De acordo com Itamar Batista Gonçalves, gerente de Advocacy da Childhood Brasil, “é importante dar atenção para a perspectiva da voz dessas meninas no sentido de que elas também querem ser ouvidas sobre suas vontades e seus sentimentos diante da experiência que estão vivendo”.

O livro também se debruça sobre dados oficiais, depoimentos de meninas que vivenciaram a gravidez nesse período e pesquisas sobre o tema para abordar a temática diante do fenômeno da violência e exploração sexual de adolescentes, que impacta na saúde, na integridade física e psicológica da vítima e pode resultar na gravidez. Além de ressaltar a importância do enfrentamento dos casos de abusos sexuais, Itamar também ressalta que a escolha é um direito da mulher: “Costumamos pensar que as adolescentes não querem levar a gravidez adiante, mas isso não é uma verdade. Temos que ouvi-las para incentivar uma maternidade responsável, com informação e o acompanhamento certo”.

Com o questionamento “Vocês querem entender a gravidez na adolescência? Então é preciso olhar para além da nossa barriga, ouvir também nossa cabeça e nosso coração”, frase formulada por um dos grupos entrevistados durante a pesquisa, o material se propõe a superar as barreiras de gênero e divulgar informação por meio das vozes das adolescentes.

294 leitura(s) - [ leia mais ]
As ideias e opiniões expressas neste blog não refletem necessariamente a opinião da Childhood Brasil. Reservamos o direito de não publicar comentários de conteúdo discriminatório, que incitem qualquer tipo de violência, que não estejam relacionados ao tema foco do blog - proteção da infância contra o abuso e a exploração sexual, ou de caráter duvidoso.