18
mai
2018

Childhood Brasil lança campanha e alerta sobre abordagem do agressor

Para marcar o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, instituição destaca a importância de aprender a identificar os sinais de violência sexual; criação é da Giusti 

anuncios_childhood_posts01Para marcar o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, a Childhood Brasil lança uma série de anúncios no jornal O Estado de S.Paulo para reforçar a relevância do enfrentamento desse problema tão grave no país, buscando jogar luz sobre a importância de as pessoas discutirem sobre a violência sexual contra crianças e adolescentes e tirar o tema da invisibilidade que protege os agressores da responsabilização.

Intitulada “Ele Disse”, a campanha criada pela agência Giusti busca fazer um alerta por meio da própria abordagem do agressor. Além de mídia impressa, a campanha também será ativada no meio digital e nos canais  da Childhood Brasil.

anuncios_childhood_posts02“Os agressores se aproximam e criam laços fortes com crianças e adolescentes, fazendo-os acreditar que a violência é algo normal em seu desenvolvimento e, assim, convencendo-os a se calar diante da situação. A maior parte dessas relações, inclusive, são estabelecidas dentro da própria família, tornando o crime muito mais difícil de ser denunciado. É muito importante aproveitarmos o 18 de maio para conscientizar as pessoas com uma mensagem tão impactante quanto o próprio problema”, explica Heloisa Ribeiro, diretora executiva da Childhood Brasil.

Ficha Técnica:

Cliente: Childhood Brasil
Agência: Giusti
Campanha: “Ele Disse”
Anúncios: “Vaca-amarela” e “Pega-pega”
Direção de Criação: Daniela Dahrouge
Criação: Daniela Dahrouge e Christian Seki
Atendimento: Marcela Branco e Francisco Itacarambi
Mídia: Gabriela Santos e Ana Carolina Santos
Aprovação: Ana Maria Drummond e Heloisa Ribeiro

Esta entrada foi publicada em exploração sexual, Prevenção. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.

As ideias e opiniões expressas neste blog não refletem necessariamente a opinião da Childhood Brasil. Nos reservamos o direito de aprovar os comentários submetidos pelos visitantes do sitepara publicação. Não serão publicados comentários de conteúdo discriminatório, que incitem qualquer tipo de violência, que não estejam relacionados ao tema foco do blog - proteção da infância contra o abuso e a exploração sexual, ou de caráter duvidoso, não comprovado.