25
fev

Campanha contra a violência sexual infantojuvenil no Carnaval será divulgada em desfiles de escola de samba

Porta documentos da campanha contra a violência sexual infantojuvenil no Carnaval

Ano após ano, a Childhood Brasil vem ajudando a divulgar a campanha nacional contra a violência sexual contra crianças e adolescentes no Carnaval.“Proteja as nossas crianças e adolescentes. Violência sexual é crime. Denuncie. A bola está com você”. Essa mensagem será vista no carnaval deste ano em bolas gigantes circulando pelas arquibancadas, camisetas, abadás, abanadores e tatuagens temporárias dos foliões, nos bailes, blocos e escolas de samba.

A campanha será lançada pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República e parceiros, nesta sexta-feira, dia 25 de fevereiro, no Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro. As ações ocorrerão em 12 cidades-sede da Copa do Mundo de 2014 e também em Porto Velho, Belém, Florianópolis, João Pessoa e Vitória.

Em todos os estados, haverá mobilizações pela proteção dos direitos da criança e do adolescente nos blocos de rua, aeroportos e rodoviárias, respeitando a tradição carnavalesca de cada cidade. No sambódromo da Marquês de Sapucaí, no Rio de Janeiro, está prevista uma ala com a arte da campanha, no desfile da “Inocentes da Caprichosos”, escola de samba mirim da Caprichosos de Pilares (com a presença da homenageada apresentadora Xuxa).

Essa é a primeira vez que a campanha nacional contra a violência sexual infantojuvenil é realizada durante os desfiles de carnaval.“Queremos transformar a festa num espaço de defesa dos direitos da criança, articulando os setores estratégicos para contribuir com a redução dos índices de violência cometida contra crianças e adolescentes, com foco na prevenção e divulgação de canais de denúncia”, afirma Karina Figueiredo, secretária executiva do Comitê Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes.

A iniciativa tem o objetivo de sensibilizar a população para a gravidade do problema e incentivar a denúncia de casos de abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes. Para divulgar o Ligue 100 (Disque Denúncia Nacional de Abuso e Exploração Sexual Contra Crianças e Adolescentes) e os Conselhos Tutelares de cada estado, os cartazes, banners, porta-documentos, adesivos de carro, sacolas plásticas e outros brindes trarão a frase “Tem coisas que não dá para fingir que não vê”. “O Brasil recebe grande número de turistas neste período, principalmente no Nordeste, e precisamos conscientizar as pessoas, porque muitas vezes os organizadores fazem vista grossa, como se tudo fosse permitido”, diz Karina.

Os principais parceiros na campanha são: os Ministérios da Saúde, da Justiça, da Educação, do Turismo, do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Público do Trabalho; o Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes; as Polícias Federal e Rodoviária Federal; a Empresa Brasileira de Infra-estrutura Aeroportuária; a Caixa Econômica Federal e ONGs atuantes no tema.

Esta entrada foi publicada em destaque e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

4 comentários para: Campanha contra a violência sexual infantojuvenil no Carnaval será divulgada em desfiles de escola de samba

  1. Pingback: Campanha contra a violência sexual infantojuvenil no Carnaval | Educa já

  2. Excelênte iniciativa, parabéns e sucesso.
    ;-)

  3. Pingback: » Blog Archive » Campanha para o enfrentamento da violência sexual contra crianças e adolescentes é alvo deste Carnaval

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

As ideias e opiniões expressas neste blog não refletem necessariamente a opinião da Childhood Brasil. Nos reservamos o direito de aprovar os comentários submetidos pelos visitantes do sitepara publicação. Não serão publicados comentários de conteúdo discriminatório, que incitem qualquer tipo de violência, que não estejam relacionados ao tema foco do blog - proteção da infância contra o abuso e a exploração sexual, ou de caráter duvidoso, não comprovado.